BOITUVA REALIZA A 1ª CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE CULTURA E APROVA 28 PROPOSTAS APRESENTADAS EM 06 EIXOS DE DISCUSSÃO

  BOITUVA REALIZA A 1ª CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE CULTURA E APROVA 28 PROPOSTAS APRESENTADAS EM 06 EIXOS DE DISCUSSÃO
 
"Democracia e direito à cultura". Esse foi o tema da 1ª Conferência Municipal de Cultura de Boituva realizada no começo da noite desta quarta-feira, 22 de novembro, no auditório do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo (IFSP - Campus Boituva). Trinta propostas foram apresentadas e 28 aprovadas, representando os seis eixos discutidos na plenária.
 
Os eixos abordaram os seguintes temas: "Institucionalização - marcos legais e sistema nacional de cultura", " Democratização do acesso à cultura e participação social", "Identidade, Patrimônio e Memória", "Diversidade cultural e transversalidade de gênero, raça e acessibilidade na política cultural", "Economia criativa, trabalho, renda e sustentabilidade" e "Direito às artes e linguagens digitais".
 
Confira as 28 propostas aprovadas na Conferência:
 
EIXO 1: Criação do Sistema Municipal de Cultura; Criação do Fundo Municipal de Cultura gerido pela Secretaria Municipal de Cultura; Institucionalizar os principais agrupamentos e manifestações culturais do município; Regulamentar o calendário oficial cultural e Fortalecer a interação entre as instituições culturais e sociais com o Sistema Municipal de Cultura com integração ao calendário cultural.
 
EIXO 2: Manutenação de espaços culturais já existentes, tanto na estrutura física quanto a recursos humanos e implementação de acessibilidade; Desenvolvimento de políticas culturais descentralizadas para os equipamentos culturais da periferia; Apoio as atividades musicais realizadas por artistas e grupos do município; Realização de parcerias com outras Secretarias para eventos culturais e formação de público e Melhora na comunicação e divulgação de eventos da Secretaria de Cultura (carro de som, busdoor, faixa, jornal, rádio, redes sociais, panfletos).
 
EIXO 3: Reestabelecer a Casa da Cultura como Centro de Memória e relacionamento entre os frequentadores; Fomentar a partir do poder público as iniciativas privadas de resgate da memória e identidade cultural, como exemplo: o Museu do Tropeiro, Banda Lira Santa Cecília, Museu do Ofício do Pintor Camargo, etc; Fazer uma promoção da cultura do munícipio como destino turístico; Fazer um mapa com os destinos turísiticos/culturais promovendo eventos e interações entre eles e Fazer dos equipamentos culturais e museus um espaço vivo de interação dos alunos da rede pública com os agentes culturais desses equipamentos.
 
EIXO 4: Formação de um espaço adequado para atender diversas áreas da cultura para o público PCD, bem como cursos de formação para profissionais que já atuam na cultura; Ações que revivam a cultura dos desfiles de carnaval e rodas de samba; Circuito cultural nas escolas, abrindo oportunidade das organizações e instituições de mostrarem sua história através de ações culturais; Grupo de acolhimento ao público LGBTQIA+ para encorajar ações culturais que favoreça a conscientização e o respeito.
 
EIXO 5: Oficinas de capacitação para agentes culturais; Criação de uma sala pública de cinema que priorize produtores nacionais e também regionais com gestão e curadoria compartilhada com a sociedade civil, que ofereça ações de formação ao público, incentivando escolas e outros projetos sociais a frequentarem o cinema e que organize sessões especiais que facilite o transporte para pessoas que moram longe dos espaços e que realize sessões com debates e espaços de conversas entre os frequentadores; Priorização dos editais da Cultura para pessoas físicas, de forma que os recursos financeiros chegem diretamente aos indivíduos e Criar dentro dos canais já existentes, entrevistas no formato de podcast com a rede criativa do município, com objetivos de criar conexões profissionais do setor cultural.
 
EIXO 6: Fomento ao grupo de teatro da Oficina de Artes com destaque nas mídias sociais; Adequação de espaços existentes (Centro de Eventos e Polos Culturais), visando atender as necessidades acústicas, visuais, técnicas e estruturais em geral para devidas propagações midiáticas; Possibilitar a utilização facilitada de praças e ambientes públicos municipais para expressão cultural; Criação de curso de fotografia na Oficina de Artes fornecendo como prática o registro das expressões artísticas e culturais ocorridas no município e a Criação de quadros de linguagens digitais, destacando ações culturais por meio de entrevistas (podcast) e vídeo documentários, com exibições em ambientes públicos, valorizando a cultura nos bairros de acordo com a observância da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD).